Pessoas que me prestigiam!!!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Bom é voltar pra Casa!!

Quase 20 anos depois decidi voltar para a essa que eu adotei como sendo a minha cidade...
Vou explicar para que vocês entendam: conheci Conquista como é chamada carinhosamente por seus moradores, em 1983 através do meu primeiro namorado. Lembro como se fosse hoje, era uma manhã de sábado, fazia um friozinho que lembrava muito São Paulo e aquela vista do alto do planalto, que se perdia no horizonte, alcançava a cidade inteira, encheu minha alma de um sentimento de encontro, de raiz, de algo familiar. Foi amor à primeira vista literalmente!!! Os acontecimentos depois disso, só reforçaram tudo o que já estava previsto para acontecer. Perdi a conta das idas e vindas, toda vez que eu precisava de refúgio, de um lugar pra me acalmar, me concentrar e recomeçar. Aqui morei com minha mãe nos últimos anos antes da sua morte; aqui eu fui acolhido por uma família imensa e ganhei outra mãe e irmãos; aqui eu passei grandes momentos de minha vida. Namorei meninas e meninos. Viajei bastante do sertão ao litoral. Passei dificuldades em época de vacas magras, mas curti a vida “adoidado”!! Aqui trabalhei em diversos lugares e fiz grandes amizades...

Tanto é, que a recepção na chegada foi calorosa e carinhosa de maneira geral. Cheguei com a mudança completa dentro de um caminhão baú, trouxe tudo, não deixei nada pra trás.
 Mentalmente eu já estava preparado para esta mudança, o meu espírito estava todo envolvido neste processo. Foi fácil a imersão na cultura bahiana, as ruas cheias de gente diferente, sons de axé explodindo por todos os cantos, multidões de rostos de pessoas conhecidas, gente sofrida pelo sol, pela seca, mas bronzeada pelo olhar da felicidade. Aqui a grande diferença do sul é que se é feliz com muito menos do que se vive lá! A vida passa lentamente e podemos saborear um passeio numa tarde de domingo na praça e olhar o luar cintilante nas noites quentes!

 Tarde de domingo, passeando de bike pelas ruas vazias da cidade, me lembrei de quando eu vagava por estas mesmas ruas, sem destino, muitas vezes ia à casa de um amigo só pra jogar conversa fora e ver à hora passar. Daí em entendi o significado da minha volta. Eu precisava desta sensação de acolhimento, de fazer parte de um lugar, de ver rostos conhecidos e pessoas sorrindo pra mim!
 Outro dia ouvi de um conhecido a seguinte frase: “que bom que você está de volta, aqui é o lugar onde as pessoas gostam de você”. Pronto, isso define tudo. Como é bom viver em um lugar onde as pessoas expressam que gostam de você!
 Em outra oportunidade, estava fazendo a feira, vi um homem grisalho e me lembrei dele, fomos bons colegas de banco e muitas vezes saímos juntos. Ele agora casado, pai de família, tinha o mesmo semblante juvenil e com um sorriso amigável me cumprimentou efusivamente e me deu as boas vindas.

Nestes quase dois meses foram muitos reencontros, muitas histórias e boas lembranças que agora avivam minha mente. Fica a certeza de que estou no lugar certo no tempo certo! Agora de um jeito diferente, não preciso me acalmar ou me concentrar. De certa forma é um recomeço. Mas pra mim é a continuação de uma trajetória que se iniciou aqui, deu muitas voltas pra então se encontrar no centro.

Como disse anteriormente, chegou o meu tempo, este é o meu tempo, é o meu lugar. As experiências vividas por onde andei, as amizades que fiz, todas foram válidas e guardarei eternamente, mas hoje sinto como se esse fosse o lugar de onde eu nunca deveria ter saído!

domingo, 19 de janeiro de 2014

Estou de volta...melhor..mais seguro e mais baiano do que nunca!!!


Chegou o meu tempo

Prestes a completar 53 anos, descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói os caroços. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Detesto ter que me desculpar quando faço uma brincadeira idiota e a outra pessoa pensa que tentei magoá-la. As pessoas não debatem conteúdos, só o superficial. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa… Quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços e falhas e de si mesmo; não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade e não se acha dono de nenhuma verdade! Caminhar com pessoas de verdade. O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial! Hoje posso afirmar sem nenhum receio ou temor de que estou vivendo o tempo que foi destinado para mim!!!

(Parafraseando Mário Pinto de Andrade (1928-1990) - escritor angolano)